agosto 24, 2013

Você NÃO tem esse direito

Tenho as pernas tortas e compridas, sempre as tive
Dedos longos, quadris largos e uma sina com cabelo.
Quase não tenho seios, mas isso nunca me incomodou.
Detesto minhas orelhas, e minhas costelas saltadas por conta da bronquite.
Não gosto dos meus pés, mas adoro minhas canelas de sabiá, e meu nariz.
Meus braços extremamente longos me incomodam um pouco, pois acabo desengonçada.
Mas adoro minhas costas, e meus ombros e meu pescoço.
Gosto das marcas do meu corpo, tanto das que foram como das que não foram de propósito.
Cicatrizes recentemente adquiridas por conta de um descuido, ou então as três pintas prediletas que tenho, duas no canto do olho, e uma no canto da boca, todas do lado direito do rosto.
Gosto das minhas tatuagens, todas elas são envoltas de significados, e lembro de cada fisgada enquanto a agulha rasgava minha pele.
A verdade é que me construí com extremo esmero, cada palavra, cada jargão, cada chatice, tão meus que nem sei como...
Então, me perdoa, você não tem esse direito.
Eu tenho direitos autorais sobre mim, e não, eu não sou um personagem seu.
Eu sou uma personagem minha, às vezes vilã, às vezes heroína, mas sempre muito minha, sempre muito eu.
Eu me empresto para seus contos, deixo usar-me de inspiração, mas não tente me tomar pra si.
Eu existo independente de você.
Não que você não tivesse capacidade, mas não foi você quem me criou.
Em contrapartida, eu tenho fé de que se eu não existisse, você me inventaria.

2 comentários:

  1. To precisando aprender contigo, moça! Lindeza isso. Beijo

    ResponderExcluir
  2. O tio gostou disso. Ta bem bom. Invista!

    ResponderExcluir